Notícias

Pesquisa

Agendamento

Agende uma consulta com o especialista.

Facebook

19/07

Conheça os perigos da automedicação

dr-otavio-micelli-blog-automedicacao

A ideia de criar uma farmácia particular em casa acaba sendo muito prática para a maioria da população, por conta da facilidade de encontrar remédios que cessam as dores mais comuns do dia a dia. Contudo, a automedicação se torna um problema grave exatamente por esse motivo: virar rotina na vida de um indivíduo.

 

É importante ressaltar que a cultura em relação a autoprescrição médica oferece uma visão equivocada. Confira alguns efeitos colaterais que remédios populares e utilizados para a automedicação podem causar:

 

Antibióticos 

Os antibióticos são eficazes no tratamento de infecções. Contudo, como eles não conseguem matar por completo as bactérias causadoras da doença, as sobreviventes acabam se multiplicando e ficando ainda mais resistentes.

 

Paracetamol

Esse tipo de medicação é eficiente contra as dores e febre, porém, quando ela entra em contato com o fígado, uma pequena fração acaba se tornando uma substância tóxica. O risco é que o órgão pode não conseguir manter essa dose, podendo causar lesões irreversíveis. 

 

Sal de Fruta

Ele alivia a azia e a queimação promovida, em sua maioria, por algum alimento. A adversidade está nos efeitos indesejados que aparecem pela quantidade de sódio contido no mesmo. Representando 1,7g, muito perto da recomendação máxima diária de 2g.

 

Dipirona

A função benéfica da dipirona é a diminuição da febre, mas um dos efeitos mais perigosos tomando o remédio em pequenas doses é a redução da quantidade das células do sangue (glóbulos brancos e vermelhos). Além das reações alérgicas graves, como choque anafilático em asmáticos. 

Para saber mais sobre os perigos da automedicação, converse com um especialista ou entre em contato.

Deixe seu comentário