Enteroscopia de duplo balão

Categorias

Endoscopia

Colonoscopia

Ecoendoscopia Alta

Ecoendoscopia Baixa

Cápsula endoscópica

Enteroscopia de duplo balão

Colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (CPRE)

Agendamento

Agende uma consulta com o especialista.

Facebook

Curta nossas principais novidades na nossa página

Localização

Confira nosso endereço e o melhor caminho no mapa.

Convênios

Confira a lista de convênios atendidos na clínica

Historicamente, as patologias do intestino delgado (ID) sempre foram de difícil diagnóstico, considerando a anatomia, a grande extensão e a tortuosidade desta parte do trato digestivo. Até recentemente, os métodos diagnósticos disponíveis apresentavam grandes limitações ao seu uso, especialmente no que diz respeito à acurácia diagnóstica. Na maior parte dos casos optava-se primeiramente pelos exames radiológicos contrastados, reservando-se outros métodos mais invasivos, como a enteroscopia intra-operatória, para os pacientes cuja investigação diagnóstica inicial fora negativa. Especificamente no caso da hemorragia digestiva proveniente do intestino delgado, era possível demonstrar a sua ocorrência através de arteriografia ou cintigrafia com hemácias rádio- marcadas, porém com sérias limitações em apontar precisamente o local do sangramento.

A Enteroscopia com duplo balão (EDB) é uma técnica endoscópica criada no Japão em 2001, que permite avaliar todo o intestino delgado, parte do tubo digestivo inacessível à Endoscopia Disgestiva Alta e a Colonoscopia. Além de possibilitar o diagnóstico de múltiplas patologias do Intestino Delgado, possui a vantagem da realização de várias ações terapêuticas.

Esta técnica revolucionária, consiste em um videoendoscópio, medindo 200 cm de extensão e 8.5 ou 9.5 mm de calibre (portanto, um pouco mais longo e menos calibroso que um vídeocolonoscópio), acoplado a um overtube (ou seja, um tubo que o recobre e desliza sobre ele), de 140 cm de extensão e 12 ou 13 mm de calibre. Tanto o endoscópio como o overtube possuem em suas extremidades um balão de silicone, que pode ser insuflado com ar ou com dióxido de carbono, permitindo o ancoramento destes dispositivos na luz do intestino. Sempre é realizado em ambiente hospitalar, com o paciente submetido a um preparo igual ao da endoscopia digestiva alta se a via de acesso for anterógrada (via oral) ou preparo semelhante ao da colonoscopia se a via de acesso for retrógrada (via anal). Pode ser realizada ou com sedação ou com anestesia geral, sempre supervisionada por médico anestesista.

Algumas das lesões identificadas com cápsula endoscópica podem ser biopsadas, retiradas ou tratadas durante uma Enteroscopia com balão, sendo uma alternativa à cirurgia.

As indicações da EDB são no tratamento da hemorragia digestiva de origem obscura (5% da hemorragias digestivas), anemia ferropriva sem causa, síndromes polipoides, localização, biópsias e/ou tratamento (retirada) de tumores (linfomas, adenocarcinomas, carcinoides, tumores estromais, etc), doença celíaca, avaliação de paciente com cirurgias abdominais com alteração do intestino delgado (cirurgia da obesidade, Y de Roux, etc), retirada de corpo estranho, realização de jejunostomias.